Você já passou por alguma situação constrangedora, como entrar numa loja e simplesmente não ser atendimento por um vendedor? Talvez isso tenha passado despercebido ou você só ignorou esse ocorrido.

Mas volta e meia ouvimos esse tipo de relato. Independente do sexo, lugar em que mora, da sua pele, do seu cabelo, da sua roupa, do celular que segura na mão ou até do carro que você dirige.

Você é o que tem? 

Uma condição econômica melhor, definitivamente pode significar muita coisa num país como o nosso. Estamos falando de um Brasil muito desigual. Dados do IBGE/PNAD (2016) apontam que aproximadamente 85% da população brasileira sobrevive com até R$ 1mil de renda, considerando ainda que a metade da massa trabalhadora recebe 15% menos que um salário mínimo. Enquanto na outra ponta, apenas 1% da população possui renda acima de R$ 15mil por mês.

Mas afinal, o que você tem?

Colocando este aspecto financeiro/econômico de lado, o brasileiro tem muita garra, uma enorme vontade de ver o país crescer e despontar como uma das grandes potencias mundiais. Eu, você e todos que nascemos nessa nação rica e maravilhosa, nós temos a oportunidade de transformar o país ou quem sabe o mundo inteiro. Essa oportunidade está a um passo de distância. Basta olhar pro lado e perceber a quantidade de ocasiões que poderá fazer diferença.

Pode parecer um tanto ingenuo, mas sim, temos a força motriz capaz de provocar as mudanças necessárias e ela está dentro de nós, no nosso olhar, nas nossas atitudes diárias.

Que tal valorizar a si mesmo e ao próximo?

Que tal valorizar não apenas o que existe no bolso ou aquilo que você veste?